Cena Independente #1 – Jan/2012



O Cena Independente é uma coletânea mensal baseada no Music Alliance Pact. A ideia é juntar blogs nacionais, cada um representando um estado, na divulgação do que há de novo na música independente e alternativa de cada canto do país.
Caso queira integrar seu blog ao projeto, entre em contato pelo mixtape.cenaindependente@gmail.com
Nesta primeira edição, 13 faixas que vão do shoegaze à música de carnaval.



Saiba mais sobre cada uma:

- ALAGOAS: Sirva-se
Adrenaline – Olhos Famintos
new metal
Adrenaline, banda ativa no cenário alagoano a mais de seis anos, lançou agora no mês de janeiro seu primeiro EP contendo 6 faixas de um som pesado mesclado a passagens melódicas. Fruto de uma longa caminhada, marcada por diversos contratempos e dificuldades muitas vezes comuns na cena independente, a banda não perdeu o gás e liberou um material de qualidade e muito bem encontrado dentro do estilo musical ao qual se propõe a fazer. O destaque vai para a música Olhos Famintos que traz uma introdução sombria e uma letra bem introspectiva.
Para quem gosta de: Deftones, Korn, Coal Chamber

- AMAZONAS: Som Independente
Luneta Mágica – Remédio pra Gripe
electronica
A Luneta Mágica surgiu em 2008, após Chico e Pablo, companheiros da banda Debochantes e prolíficos compositores, decidirem dar uma virada no som que faziam e seguir outro rumo. A proposta da nova banda contrastava com a da antiga: em vez de um som cru, a Luneta Mágica seria mais polida. Depois de várias formações e instrumentos que variaram desde o saxofone até o ukulele, a banda resolveu tomar outra virada radical: a mistura do rock and roll com música eletrônica, pouco experimentada pelas bandas locais de Manaus. Em novembro de 2011 a banda lançou seu primeiro EP, Remédio pra Gripe.
Para quem gosta de: Radiohead, Aphex Twin, Os Mutantes

- BAHIA: El Cabong
Magary – Pegada de Dodó
black samba
A música de Carnaval de Salvador nos últimos anos penou para conseguir produzir algo relevante, apesar da alta produção. 2012 surge com algo diferente ditando a moda do verão. Um percussionista que decidiu criar a própria carreira e que tem mostrado que dá pra fazer música divertida, dançante, totalmente carnavalesca e relevante. Com influência de música angolana, samba, ritmos baianos e black music, Magary é a sensação que torcemos para ficar.
Para quem gosta de: Música africana, Wilson Simonal, Carlinhos Brown

- ESPÍRITO SANTO: Ignes Elevanium
Mesu Komuro Trio - Pizza Blunt
soul/funk/instrumental
Um baixo marcante, um teclado setentista, uma bateria bem postada e uma sonoridade cinematográfica, intimista e cheia de feeling. Esse é o Mesu Komuro Trio, banda instrumental idealizada pelo multifacetado músico capixaba Lucas Côrtes. Com dois EP's na conta, Queijo Ornamental de 2010 e Mamão Papaia de 2011, o grupo já flertou com diversos estilos, desde a salsa até o trip-hop e tudo isso, acreditem, sem perder a harmonia e uma personalidade incrivelmente própria. Pizza Blunt, faixa escolhida para a mixtape, contém os elementos mais apaixonantes do último release dos caras: baixo lindíssimo, linhas de teclado simples mas "catchy" e bateria funkeada. Surpreendam-se. E além disso todo o trabalho dos caras está disponível no soundcloud e no last.fm, e de graça.
Pra quem gosta de: Situation, Mark E., Lucas Côrtes

- MATO GROSSO: Factóide
Alexandre Facchini – A Notícia Ruim Ilustra a Reportagem
eletrônica alternativa/synthpop/hip hop
A letra de Ricardo Sardinha e a música (e toda a gravação) por Facchini retoma uma bela parceria que existe também na Strauss, a banda mais famosa de Mato Grosso nos anos 90 e que abriu caminho para tudo que aconteceu nos anos 2000 (e que recentemente comemorou 20 anos em grande estilo). Facchini, originalmente baterista, tem amplo domínio de uma vasta gama de instrumentos e é um dos grandes músicos do estado. Além de tocar em várias bandas e projetos, também tem se arriscado nas produções com toques eletrônicos, como nesta canção.
Para quem gosta de: Criolo e Silva.

- MINAS GERAIS: Meio Desligado
Graveola e o Lixo Polifônico - Babulina's Trip
MPB experimental
A Graveola é uma das principais bandas de Belo Horizonte na atualidade e possui um dos maiores e mais fieis públicos na capital mineira. Suas músicas  atualizam a MPB e o tropicalismo com ousadia e imprudência, mesclando-os aos mais diversos gêneros. Em Babulina's Trip, as muitas influências e referências da banda são transpostas para a letra, que se confunde com a história do próprio grupo e da cena artística em que se encontra.
Para quem gosta de: Los Hermanos, Mutantes, Novos Baianos

- PARAÍBA: Atividade FM
Rieg – The Histrionic
lo-fi/folk/trip-hop/funk
Rieg é um projeto formado pelo Rieg Wasa, músico conhecido por tocar com o grupo Madalena Moog, e ainda integrantes de bandas bastantes conhecidas na cena local como  Burro Morto e Dalva Suada, sendo eles Felipe (Guitarra), Daniel (Baixo) e Nildo (Bateria). O projeto lançou seu primeiro EP, The Histrionic, no final de 2010, e ainda é dos trabalhos que nós chama bastante atenção por ter saído um pouco da sonoridade convencional e um pouco saturada de algumas bandas locais.
Para quem gosta de: Burro Morto e Madalena Moog.

- PARANÁ: Defenestrando
ruído/mm - O Prestidigitador
canção instrumental
O ruído/mm (lê-se "ruído por milímetro") é uma banda instrumental pós-rock de Curitiba. Com o lançamento do ótimo disco Introdução à Cortina do Sótão, eles foram o grande nome da música curitibana em 2011, ao lado d'A Banda Mais Bonita da Cidade. Influenciados por todo o tipo de coisa que possa influenciar compositores, suas músicas parecem contar grandes histórias sobre a vida, mesmo sem pronunciarem qualquer palavra ou frase. O Prestidigitador é a última faixa da Introdução.
Para quem gosta de: Mogwai / Sonic Youth / Debussy

- PERNAMBUCO: AltNewspaper
D Mingus – Cosmicamente
folk/rock/psicodelia/lo-Fi
Domingos Sávio, o D Mingus, é um artista recifense dos mais interessantes que apareceram depois dos anos 2000. Realizando gravações no esquema monodeck, acabou por criar uma banda com o mesmo nome, pautada na música instrumental da mais alta qualidade.  Antes e depois da monodecks, a mente criativa do músico sempre desenvolveu músicas com outras influências e estilos. Em 2010 lançou um dos registros mais interessantes da música pernambucana, misturando Lo-Fi, Folk, Rock e muita psicodelia. Neste começo de 2012 o artista está de volta, um novo registro de uma mente doentia que não para de pensar, desenvolvendo um dos trabalhos mais fora do eixo da música brasileira na atualidade. No novo disco, Canções do Quarto de Trás, mais uma vez o formato de gravação lo-fi e caseiro foi utilizado, porém tudo feito na mais alta qualidade.
Para quem gosta de: Walter Franco / Sid Barret / ennio morricone

- RIO GRANDE DO NORTE: FUGA Underground
Peaceful Pants – She Messes
freak folk
O Peaceful Pants é o trabalho solo de Adriano Sudário, vocalista e guitarrista da banda potiguar de twee pop Hey Apple. Em novembro, o músico lançou o melancólico Floating Island, disco de 12 faixas, cheio de participações de figuras ilustres do rock potiguar. Em She Messes, encontramos a música mais pop do debut – uma letra simples em uma melodia deliciosamente pegajosa.
Para quem gosta de: Kings of Convenience / Elliot Smith / The Tallest Man On Earth.

- RORAIMA: Som Independente
Vinícius Tocantins – Ponto Fixo
folk/indie rock
Janeiro de 2012 chega como uma grata surpresa aos fãs do músico/compositor Vinícius Tocantins, que lançou virtualmente seu segundo EP solo chamado A vida vem em ciclos. O segundo compacto do artista, assim como o primeiro, conta com duas composições próprias e uma releitura.
Para quem gosta de: Marcelo Camelo / Paralamas / Frejat

- RIO DE JANEIRO: Rock In Press
El Efecto – Pedras e Sonhos
Descobrir o El Efecto nunca foi um problema, tamanho a quantidade de pessoas que me indicar a banda. O combo gosta de misturar estilos e instrumentos e deixar sua música bastante diversificada e extremamente bem arranjada, deixando-os praticamente inclassificáveis. Na bagagem, a banda já anota dois álbuns (Como Qualquer Outra Coisa, de 2004, e Cidade das Almas Adormecidas, de 2008), além de um single de 2010 e dezenas de outros shows pelo país, incluindo até apresentação no Equador. Para 2012, ouvi comentários de um DVD ao vivo gravado na Audio Rebel, tradicional casa de show, gravações e ensaios do Rio de Janeiro além de um CD ou EP novo para fevereiro ou março.  A faixa “Pedras e Sonhos” mostra bastante dessa variação musical  e do incrível arranjo que a banda costuma a fazer para suas músicas. A versão presente neste post é acústica, gravada para a Tocavideos.
Para quem gosta de: Pendulum, Labirinto e Eskimo

- SÃO PAULO: Move That Jukebox
Blemish – Love Me Until You Hate Me Enough
90's/pop/shoegaze
Saída do começo da década passada, a banda Blemish tirou o pó das guitarras em 2011 - e logo nesse comecinho de 2012, volta com uma reedição caprichada de seu cultuado EP Silver Bong Song, com novos arranjos, remixado e com a inclusão da linda e singela Nite Nite. Mas o destaque fica por conta da abertura do EP. Love Me Until You Hate Me Enough dispara microfonias, guitarras sujas e um vocal calmo que se contrapõe à barulheira organizada da banda. O Blemish retorna em 2012 depois de uma longa hibernação - e promete fazer valer a espera com lançamento seu esperado debut, intitulado Transatlantic Broken Dreams.
Para quem gosta de: My Bloody Valentine / Superguidis / Pavement

Clique aqui para abaixar a mixtape.

Compartilhe no Google+
    Comentários

0 comentários:

Postar um comentário