Especial sobre a cobertura do Grito Rock Roraima 2012 - (Boa Vista/RR)


O maior Festival Integrado do Mundo invadiu Roraima durante os dias do Carnaval. Boa Vista, Tepequém e Pacaraima, receberam a edição 2012 do Festival Grito Rock, que trouxe, durante os dias 17 e 21, atrações musicais, teatrais, de dança, poesia, fotografia e oficinas a Terra de Macunaima, de forma totalmente gratuita.

O palco Velia Coutinho tornou-se um caldeirão artístico ao receber, nos dias 17 e 18, pelo quinto ano seguido, o Grito Rock Boa Vista. O evento que deixou de ser uma opção ao Carnaval para virar algo obrigatório no calendário da capital roraimense. Durante dois dias Rock, Reggae, MPB, Rap, Teatro, Dança e a Exposição Poético-Fotográfica Sete Pecados mostraram ao público a diversidade de atrações oferecidas pelo Festival.





Do estreante no evento, Mc HD, ao experiente quinteto Iekuana, banda que fechou as apresentações do Festival, a música foi o carro chefe do Grito, promovendo uma integração entre estilos musicais e as várias vertentes do Rock. O HardCore da Box44 e o Pós-Punk da Alma Nômade foram as atrações estrangeiras do Grito. Vindas do Amazonas as bandas deram continuidade ao sucesso dos artistas manauaras no GR.






GR Boa Vista – Primeira Noite

Sexta (17/01)
Quem chegou cedo as dependências da Praça Velia Coutinho, pode conferir a primeira atração da noite no Grito Rock Boa Vista 2012, MC HD. Com 10 anos de carreira, o rapper mandou logo de cara um rap/hip hop cheio de referências regionais cheio de estilo . A presença do MC Niggaz (GDR), fez o pano de fundo para as rimas no ritmo/poesia de “Pequena Pacata”, “Tempos em Tempos”,que foram os pontos altos da apresentação. Uma boa escolha para o show de abertura.





Com o fim da ALT F4, e a pausa indefinida da Insert Rock, a Hopes foi a única banda de hardcore da cena de Roraima, a tocar no GR Boa Vista. Capitaneados pelo single “Maria Joana”, a banda fez um show de estreia no festival, variando HC com pequenas doses reggae que agradou o público “teen” presente. No ano passado a Hopes venceu uma das prévias do TomaRRock na qual carimbou o passaporte para o festival. Ainda despontam como uma promessa.





Dizem que "Filho de peixe, peixinho é", ou "quem nasce aos seus, não degenera", tudo isso é bem certo quando falamos de Liber e os Makunaimanos. A banda mandou um popreggae/roraimeira, num balanço que fez o público sacudir o esqueleto na primeira noite do GR Boa Vista. De quebra ainda ganharam a participação do músico Neuber Uchoa (pai de Liber), que além de abençoar a brincadeira, ainda mandou "Casinha de Abelha", hit Número Um em Roraima. É a força da música com selo 100% roraimense.



Neuber Uchoa
No intervalos tivemos a apresentação do Grupo Movimento Urbanus, com Break, hip hop, free style e batalha de MC's além da Exposição Poético-Fotográfica Sete Pecados da poetisa Ely Macuxi que mostrou ao público a diversidade de atrações oferecidas pelo Festival.





A temperatura esquentou quando foi anunciada a Johnny Manero. A banda tomou conta do palco com músicas destiladas de sexo, álcool e rock n roll envenenado. O quarteto mandou um show pesado com muita propriedade que empolgou e fez a moçada interagir em músicas como “11:59”, “Louca de Pedra”, “FDM”. O destaque ficou para o hit “Johnny Manero”, cantando em uníssono. Mas a grande a pergunta é?? e o Single “Cyneida” ?? Bom, isso fica pra próxima.





Na sequência, o volume ficou ainda mais alto com a Kandelabrus. Mesmo com alguns problemas técnicos no som, a banda fez um dos melhores shows da sexta na Velia Coutinho. Podemos dizer que a Kandelabrus é uma banda de gospel rock com riffs pesados, aliados a letras que louvam Deus sem o habitual clichê messiânico farofa. O show fez a festa dos fãs de rock, com rodinhas de pogo e gritos histéricos. É o segundo ano consecutivo da banda GR Boa Vista, os caras vem se destacando no circuito de shows na cena rock de Roraima. O talento e o virtuosismo dos seus músicos, é o grande trunfo dessa grande banda local.





Logo depois veio a banda manauara Box 44, é a primeira vez que a banda participa de festivais independentes, e já com a responsa de tocar em três datas: GR Boa Vista, Tepequém e Pacaraima. Em meia hora, o trio formado por Samuka (guitarra e vocal), Adan (baixo e voz) e Wesley nas baquetas, mandaram um hardcore/pop college, influenciados por Blink 182, Angels and Airwaves e por bandas de HC nacionais. Um show com muita energia e carisma, que contagiou os rockers de plantão em frente do palco. No set list músicas do EP “Aventuras Desgastantes”, como “Entre Nós”, “Estou Indo Embora” e “Minha Nova Namorada”, como o próprio Samuka frisou após o show, "Estamos com a alma lavada e orgulho de tocar em Boa Vista para um público que nos recebeu muito bem".




Já passava da meia noite, quando a Garden, uma das mais expoentes e considerada a banda mais alternativa da cena rock de Roraima, entrou no palco do GR BV e começou um show com referências do pós grunge, com guitarras nervosas e como sempre uma performance competente do vocalista Sidarttha Brasil. A intro de “Purple Haze”, seguida de “Cerca Elétrica”, e o novo single “Quarto Branco”, ganharam os fãs de rock da noite e este jornalista aqui que vós escreve. São 15 anos de uma longa jornada com boas influencias e de bons serviços prestados ao rock Roraimense. Garden é isso, diversão garantida e pé na tábua sem olhar para o retrovisor, até o próximo festival.






Um line up que agradou a todas as vertentes da música, essa é a frase certa para o fim da primeira noite do Gr Boa Vista 2012.






Gr Boa Vista – Segunda Noite

Sábado (18/02)

A segunda noite do Grito Rock Boa Vista começou com uma banda que representa muito bem o projeto de interiorização do Coletivo Canoa Cultural, a PDG do município de Bonfim. Estreia da banda na cidade de Boa Vista. Um show que misturou pop/rock/reggae/gospel com letras em português e inglês. Uma apresentação razoável para quem começou o circuito de shows pela cidade.




"Adrenalina, a flor da pele não deixa o sangue coalhar", foi assim que o quarteto formado por Yuri, Jacy, Leon e Afonso, subiu ao palco . Com um som sujo e visceral, marca registrada da banda. A Elvis From Hell voltou aos palcos na Prévia do Grito Rock Boa Vista 2012. Os caras vieram com novas músicas numa roupagem mais pesada. Um grande show com os fãs em êxtase entoando um coro por Bis. Destque para O hit matador "Elvis From Hell".




Palavras de ordem, consciência e atitude com público cantando junto as músicas, essa foi a apresentação da GDR (Gangue do Rap), "O Public Enemy" do movimento rap/hip hop local, que vem se fortalecendo nesse últimos 5 anos na cidade de Boa Vista, música de contestação com muita identidade. "A Rua é Nóis", Maluco Me Erra", Caranã, Zona Leste, Capital" diz a letra de "PC/BV" (Pra essa porra mudar só depende de você). Fúria nas letras e paz na mente.





Enquanto o palco era preparado para o show de Sérgio Barros, Grupo Criart participou do Grito Encena realizando intervenção teatral no GR Boa Vista.






Serginho Barros
O músico Sérgio Barros chegou ao festival na esteira do seu último disco "Precioso Bem", que desembarca em Manaus em abril para uma apresentação no Projeto Riffs Desplugados, junto com outro músico da cena de Roraima, o ex - Somero, Vinicius Tocantins. Sérgio mostrou seu repertório recheado de MPB, "Roraimeira n Roll", com a genialidade de sempre. Serginho é um daqueles músicos/compositores que estão muito a frente do seu tempo, a criatividade e o talento são a verve da carreira desse grande artista nacional. A cereja do bolo ficou por conta do poeta Eliakim Rufino, que deu o ar de sua graça numa canja, mandando boas vibrações benzendo a apresentação na segunda noite do Gr Boa Vista. No final assim como em 2010, Serginho Barros repetiu a frase"Vida longa ao Grito Rock", então vou aproveitar e fazer o mesmo - Sérgio Barros/ Profissão: Gênio.




O poeta Eliakim Rufino.


JamRock, a banda começou sua história no Gr Roraima em 2010, desde então vem de destacando no cenário local, fazendo um pop rock reggae Classe A. Segundo Manoel Villas Boas , a banda está pronta pra tomar a região norte. No palco do GR a Jam Rock passou a limpo alguns de seus sucessos como o single "Futuro Bom", fazendo a cabeça da nação regueira. O talento dessa juventude é contagiante, tanto que a banda já se prepara para uma agenda de shows no segundo semestre. Essa moçada esperta quer mesmo é sair da rotina.






Uma revoada de corvos - Camisas pretas, Bauhaus, Joy Division, Cure , esse foi o público da Alma Nômade, que desde 99, vem tocando na cena rock de Manaus, fez sua estreia em festivais independentes fora do Amazonas. A banda foi destaque no último Festival Até o Tucupi realizado pelo Coletivo Difusão em 2011. Depois do GR BV, a banda se prepara para o I Festival Amazonas de Rock - Grito Rock em março. "Bandeira Negra"e "Perfil de Mulher Pensando", "Casa de Bonecas" integraram no set list dessa segunda noite do GR BV. Segundo o público , um dos melhores do festival, recado dado pela Alma Nômade, mais uma banda do Amazonas a circular nos festivais pela região norte. "Obrigado ao Coletivo Canoa e circuito FDE, vida longa ao Grito", disse Lúcio Ruiz , finalizando a participação da banda no Festival.





Iekuana




Nitidamente a banda mais esperada da noite pelos camisas pretas, foi a Iekuana. Os caras tinham o público em mãos, e já foram logo mandando uma sequência de rajadas mortiferas como "Urubu Comedor de Carniça", "Executor", "Executou o plano de ação, qual é o plano de ação? , e "Macuxi's" com o refrão soco na cara "Filhos da puta, bando de lesos, bando de doidos, vão se foder". Roda de pogo, stage diving, demência coletiva, riffs pra estourar os ouvidos, é perfeitamente normal quando a Iekuana está no palco. Com essa apresentação "terrorista" a banda fechou o GR Boa Vista 2012. Stallyn tem o espírito manifestante de um estudante coreano. O zack De La Rocha da cena rock na terra de Macunaima.


Um Salve o Grito Rock !!!


Saldo das duas noites - O GR Boa Vista teve muitas estreias, a consolidação do Grito Encena, o sucesso das bandas do Amazonas no festival. A exposição poética - fotográfica foi o diferencial da programação de artes integradas, aliadas ao movimento Urbanus que mais uma vez participou de um evento a nível nacional como é o Grito. A receptividade do público que prestigiou a diversidade musical do Gr Boa Vista, foi a marca deste evento.


Parabéns ao Coletivo Canoa Cultural pela organização de mais Grito Rock, circuito FDE, e todos os parceiros e colaboradores que fizeram parte da produção e realização do evento, buscando sempre a imparcialidade e a preocupação com o artista da região norte. Auto rendimento e felicidade, são a base do trabalho incansável do Coletivo Canoa. Como diria Manoel Villas Boas: "Não basta criar, tem que fazer".






Por Sandro Nine
Manifesto Rock - Som Independente - Coletivo Canoa - Projeto Riffs Desplugados

Fotos: Pablo Fellipe - Núcleo de Comunicação Coletivo Canoa

Equipe de Cobertura do GR Roraima 2012
Jéssica Costa
Pablo Fellipe
Sandro Nine
Compartilhe no Google+
    Comentários

0 comentários:

Postar um comentário